Histórico

"Registram-se, historicamente, na UFBA, várias iniciativas de porte variado, vinculadas direta ou indiretamente ao esforço de atualização tecnológica da Universidade e à experimentação de cursos e atividades vinculados à EAD. A seguir, faz-se uma breve reconstituição desse percurso institucional, com foco nas iniciativas situadas na última década do século passado e neste início de século.

Vídeos

III Seminário de EAD da UFBA - WEbTV UFBA - 22 a 24/09/ 2011 - 3:34 min

Ensino a distância é tema de discussão na UFBA

I Seminário de EAD da UFBA - WebTV UFBA - 2006 - 6:40 min.

Apresentação TV UFBA

Licenciatura em Libras - WebTV UFBA - 2011 9:23 min.

UFBA diploma primeira turma do curso de Licenciatura em Letras com habilitação em Língua Brasileira de Sinais (Libras), a distância

A preocupação institucional com a construção de um novo modelo educacional, incluindo a informatização do ensino e a educação a distância, instalou-se, em 1999, com o projeto institucional UFBaNET, primeira iniciativa de implantar educação a distância na UFBA. Esse projeto previa a construção de um novo modelo educacional de informatização do ensino e a adoção de práticas de EAD com o objetivo de desenvolver e implantar um ambiente de apoio a atividades a distancia. Como instância de mobilização e consecução de ações em educação a distância e informatização do ensino, esse projeto visava a estabelecer um conjunto de políticas e ações para disseminar práticas pedagógicas inovadoras nos cursos presenciais e estabelecer programas de educação a distância como uma modalidade de ensino-aprendizagem que potencializasse a abertura da Universidade a amplas camadas sociais que não têm acesso ao ensino. O UFBaNET comportava quatro subprojetos:

a) Pró-ensino, visando a facilitar o acesso aos recursos e ferramentas que alunos e professores necessitam para utilizar as novas tecnologias no processo ensino-aprendizagem;

b) Pró-EAD com o objetivo de oferecer aos professores condições de produção de material didático para EAD;

c) Pró-licenciar, em parceria com outras universidades baianas, para a capacitação em nível superior de professores leigos da rede estadual; e

d) Criando páginas, um sub-projeto com o objetivo de disponibilizar para os professores ferramentas on line de apoio para a criação de páginas Web em disciplinas de cursos presenciais.

O portal do UFBaNET entrou no ar, em fase experimental, em maio de 2000, mas o programa não chegou a ser implementado por falta de condições infra-estruturais.

O projeto REMA (Rede Metropolitana de Alta Velocidade) foi um consórcio que envolvia seis instituições, cabendo a UFBA a coordenação desse projeto. Envolvia a montagem e funcionamento de uma rede de alta velocidade e suas tecnologias, além das aplicações que fariam uso dessa rede. Nesse cenário, foi proposto o ABRA - Ambiente Brasileiro de Aprendizagem (2000-2002), um projeto de desenvolvimento de ambiente de suporte à aprendizagem via Internet, com a criação de um software de uso livre (dentro da filosofia Free Software) e de baixo custo, que permitisse a entidades carentes de recursos financeiros o uso dessa plataforma de aprendizagem. A proposta metodológica do sistema é baseada fortemente em ferramentas e interatividade síncrona e assíncrona entre professores e alunos e no uso de formas de pensamento e raciocínio não linear, que promovam a descoberta e a construção do conhecimento, ao invés da simples navegação em livros eletrônicos. O projeto foi iniciado no ambiente do consórcio da Rede Metropolitana e Alta Velocidade REMA-Salvador, tendo concluído a definição e a modelagem do sistema, implementação de alguns dos módulos previstos.

O ABRANET - Ambiente Brasileiro de Aprendizagem via Internet – foi iniciado em parceria com o Projeto InfraVIDA e, inicialmente, fez uso de projetos relacionados já existentes na UFBA, como o UFBaNET e o ABRA. O ABRANET é um ambiente de construção de conhecimentos e de educação a distância que se enquadra no contexto do projeto InfraVIDA como uma aplicação de apoio à educação continuada em saúde, possibilitada através dos módulos Biblioteca Digital, Fórum de Discussão, Agenda, Quadro de Avisos, Ambiente Acadêmico, Ambiente de Cursos, Ambiente de Autoria, Glossário etc. Especificar, modelar, implementar, testar, homologar e integrar um ambiente deste porte não é tarefa simples, e várias dificuldades e aprendizagens aconteceram nesse percurso. Apesar das enormes dificuldades na integração de serviços, o desenvolvimento do ABRANET possibilitou muitas aprendizagens da equipe.

A UFBA participou de um edital para projetos multi-institucionais, juntamente com a UFPE, a UFRN, a UNIFACS, e o Real Hospital Português, com a finalidade de desenvolver infra-estrutura de suporte à telemedicina e saúde, o InfraVIDA, Este projeto inseria-se nas atividades da RNP - Rede Nacional de Ensino e Pesquisa, criada desde 1989 pelo MCT com o objetivo de construir uma rede internet nacional para a comunidade acadêmica. Um de seus objetivos era incrementar a informatização do ensino regular presencial, ao mesmo tempo em que buscava construir cursos virtuais a distância, numa mescla de experiências de ensino-aprendizagem que potencializasse a abertura da Universidade a amplas camadas sociais sem acesso ao ensino superior público. Foi concluído em maio de 2004.

A Faculdade de Comunicação desenvolveu, entre 1997 e 2002, o projeto de extensão on-line, denominado Sala de Aula, com o objetivo de oferecer cursos de curta e média duração: Hipertexto e ficção Literária, Jornalismo on-line, Marketing e publicidade on-line, Web-design on line, Comércio Eletrônico na Internet, Cultura Cyberpunk, Poéticas digitais e outros, que atendiam inclusive a alunos de outros estados brasileiros e outros países (França, Espanha Portugal).

Em outubro de 2000, o Núcleo de Avaliação Educacional do ISP/UFBA (NAVE) concorreu com um projeto para a implantação, na UFBA, do Pólo de Avaliação da Universidade Virtual Pública do Brasil - UniRede. O projeto, que previa a criação de um sistema institucionalizado de avaliação dos cursos superiores a distância, oferecidos pelo consórcio das universidades públicas, foi aprovado e passou a ser implementado a partir de março de 2001. Em março de 2002 o Pólo mudou de nome, passando a ser a Assessoria de Avaliação da UniRede. De março 2001 a maio de 2004, a Assessoria do NAVE/ISP/UFBA organizou oficinas e participou de vários eventos ligados com a metodologia de avaliação, construiu indicadores e padrões de qualidade para avaliar cursos de graduação, extensão, aperfeiçoamento ou especialização em EAD.

No âmbito dos Projetos Pedagógicos Interdisciplinares em Matemática Apoiados por Tecnologias de Informação – Pró-Ciência, da CAPES, foi desenvolvido, no Instituto de Matemática da UFBA, o protótipo de um Curso de Atualização em Matemática, destinado aos professores de escolas públicas baianas. Esse curso foi testado em 2000 e 2001 com duas turmas de alunos – uma em Salvador e outra em Barreiras.

O Instituto de Letras, em parceria com o Instituto Goethe, iniciou em 2003, curso de língua alemã a distância, para professores que atuam nessa área.

A Faculdade de Arquitetura dispõe do LCAD, um sofisticado laboratório de computação gráfica, o qual já foi responsável por um curso de especialização: Superfícies Geométricas, numa proposta de educação a distância." (UFBA. Plano Institucional de Educação a Distância, 2006-2008. Salvador: UFBA, 2006, p. 9-11)

Em 2005 entrou no ar, com projeto financiado pelo Ministério da Saúde, o Portal NetEscola de Saúde Coletiva, "um portal dedicado à gestão de conhecimentos e informações (...), que também iria desenvolver atividades voltadas para a educação permanente a distância de profissionais e gestores de saúde". (Rangel-Santos, Maria LIgia (org.). Net-Escola de Saúde Coletiva: acesso democrático ao conhecimento. Salvador: ISC/UFBA, 2011, p. 7)

Em 2006, a UFBA, participou de uma parceria entre o Ministério da Educação e nove instituições de ensino, sob a coordenação da Universidade Federal de Santa Catarina, como um polo do primeiro curso de Licenciatura em Letras com Habilitação em Língua Brasileira de Sinais (Libras) da América Latina, na modalidade a distância, com o objetivo de formar docentes para atuar no ensino da língua de sinais.

A UFBA participou, também, em 2008, juntamente com diversas outras universidades públicas, de uma outra parceria, sob a coordenação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, na oferta do primeiro curso a distância de Licenciatura em Música do país, através do Programa Pró-Licenciaturas do MEC. A UFBA supervisionou os 4 polos localizados na Bahia: Cristópolis (60 vagas), Irecê (120 vagas), Salvador (60 vagas), São Félix (60 vagas).

Em 2006, a UFBA iniciou suas atividades junto ao Sistema UAB – Universidade Aberta do Brasil, participando de cursos de formação continuada, com o apoio da SECAD – Secretaria de Alfabetização e Diversidade do MEC, e preparando o curso de Licenciatura em Matemática a distância.

A estruturação física referente à EAD era uma necessidade estratégica para que o fomento aos cursos pudesse acontecer. Essa estruturação física foi sendo gradativamente implantada através de investimentos próprios, aos quais vieram se somar diversas ações de apoio financeiro para a aquisição de equipamentos por parte do Sistema UAB, então desenvolvido pela SEED – Secretaria de Educação a Distância do MEC.

Foram adquiridos móveis, computadores para laboratórios de informática e servidores para atender às demandas do ambiente virtual de aprendizagem. Os equipamentos adquiridos, em conjunto com outros investimentos feitos pela Universidade na estrutura tecnológica do CPD, contribuíram ainda para que a equipe Moodle do CPD – Centro de Processamento de Dados pudesse também estimular e oferecer apoio técnico e pedagógico à criação e desenvolvimento de cursos e atividades de formação a distância, dentro e fora do Sistema UAB.

Os cursos funcionam concatenados em três pilares: (1) ambiente virtual; (2) material didático e (3) tutoria. O ambiente virtual utilizado é a plataforma Moodle, instalada e aperfeiçoada pela equipe do Projeto EAD do CPD.

Desde então, a UFBA já desenvolveu ou está desenvolvendo, através do Sistema UAB, atividades em 25 polos presenciais (Amargosa, Bom Jesus da Lapa, Brumado, Camaçari, Dias d’Ávila, Esplanada, Feira de Santana, Ibicuí, Ipiaú, Ipupiara, Irecê, Itabuna, Itamaraju, Itapicuru, Jacaraci, Lauro de Freitas, Mata de São João, Mundo Novo, Paratinga, Salvador, São Sebastião do Passé, Serrinha, Simões Filho, Sítio do Quinto e Vitória da Conquista) espalhados pelos territórios de identidade do Estado da Bahia e atendeu a cerca de dois mil alunos.

Cabe ainda mencionar a realização de três versões dos Seminários de Educação a Distância da UFBA, voltados para a disseminação do conhecimento sobre essa modalidade de ensino. Mostras sobre esses seminários podem ser vistas nos vídeos cujos links estão no quadro no início deste texto.